Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Acumulação de energia.

Domingo, 27.03.05
Num campo mais metafísico, a energia, desempenha um papel vital nas nossas vidas. Toda a matéria é composta de energia ao nível atómico pelo que partilhamos nós o mesmo brilho das estrelas. Mas a gestão pessoal de energia ainda se torna uma dificuldade para nós. A energia pode ou não ser palpável, assim como pode ser visível e invisível. Se de facto nós somos compostos de energia, alguns acreditam que a nossa consciência do facto nos permite libertar, tratar, controlar, todo o nosso corpo físico, dominando o campo metafísico da energia. Como em tudo alguns seguem religiosamente tais doutrinas levando (ou elevando) as mesmas a uma quase sacralidade de peregrinação de fé. De facto algumas coisas poderão ser chamadas de energia (em mera comparação) como o amor. De facto esse veículo humano, força motriz das nossas massas sociais. Por mim o amor é uma boa forma de alimentar o espírito. A tal parte metafísica a que nós chama-mos alma, aquela que todos teem medo que morra e que se perca. Se no fundo o espírito de uma pessoa é energia física e energia "psique", dizia já Lavoisier, físico: "Na natureza nada se cria, nada se perde,tudo se transforma." De facto é verificado ainda nos nossos dias verdadeiros "milagres" da mente humana. Casos de efeito placebo inacreditáveis (muitas vezes mal associados a milagres religiosos) são descobertos e cada vez mais teorias incríveis sobre o ultrapassar do corpo físico se formam. Teorias como alimentação prãnica envolvendo largos anos de jejum de comida física. Cada vez mais se retorna aos antigos costumes, tendo sido o final do século XX a ressacralização da sociedade. Cada vez mais se experienciam viagens para além do corpo, para além da mente.
E toda esta energia se dispersa, não se perde mas transforma-se num força ténue e inactiva, contraproducente. De facto a energia criativa não se forma do nada, não se cria do nada, transforma-se nela própria a partir de algo. Criativos martirizados e fechados em si dizem que essa força provem do sofrimento, da angústia, de uma insatisfação constante. Criativos abertos e expansionistas dizem que ela provém do amor e felicidade que sentem constantemente pela vida. Como dizem os orientais no seu ying-yang, para tudo o seu oposto equivalente. De facto os constructores e os destruidores são equivalentes neste aspecto, criativos abertos constroem, criativos fechados destroem.
Qual será então o segredo da gestão e acumulação de energia para a correcta canalização da mesma?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Ogle às 03:37




mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Março 2005

D S T Q Q S S
12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031





comentários recentes

  • gala

    :)voltaste

  • caixapreta

    Eu também não fui embora, ando por ai, mas em vez ...

  • caixapreta

    As flores são uma dica para procurar um novo blog?

  • Filipa Guardado

    .... a relacionar o inrelacionavel :P ..... xxx Mt...

  • Gala

    eu venho, e venho e volto a vir mas não há textos ...

  • Guh

    Olha lá, mas tu mudaste de domínios ou andas só mu...

  • caixapreta

    Feliz Natal

  • Guh

    Eu acho, sinceramente, que tu tás todo queimadinho...

  • caixapreta

    Cheiros e sabores...por vezes é preciso até disfar...

  • Ogle

    Os recados são sempre bem vindos... Mas o que teim...