Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Conceptualização da aprendizagem não conceptual.

Domingo, 31.07.05
Como efectuar as escolhas dos conceitos que descrevem a nossa aprendizagem não conceptual? A experiência de vida não é englobada num só conceito mas sim baseada em não conceitos, descobertas abertas e vividas as quais é apenas possível descrever em conceitos já definidos ou o mais aproximados possível a realidades já conhecidas anteriormente. Estes conceitos são sempre limitrofes e/ou limitadores da visão global pretendida. Leva-se então à discussão e exteriorização de forma conceptual por forma a ir de encontro com o valor não conceptual da experiência existente na matéria a discutir.
O encontro de idéias semelhantes ás nossas levam a uma maior abranjência da matéria ideológica, do seu conhecimento e desenvolvimento. Torna-se necessária a tradução da experiência e aprendizagem não conceptual em conceitos pré-estabelecidos por forma a levar à compreensão da mesma. A dificuldade verificada será a associação dos conceitos ser diferenciada pelo espectador no encaixe dos mesmos. A importância dada pelo espectador a certos conceitos em deterimento de outros leva a uma orientação da interpretação da mensagem, por vezes errónea e dispar do objectivo pretendido.
Então a identificação do espectador com os conceitos apresentados pode simultâneamente aproximar e/ou afastar da mensagem que se pretende passar. A sua interpretação pode então ser orientada impondo limites, ou na falta deles a sua interpretação poderá levar a objectivos diferentes dos estabelecidos pela sua criação/criador.
O objectivo da indicação conceptual será desenvolver e/ou criar sensações e sentimentos não conceptuais incentivando a experimentação da descoberta de algo novo, ainda não conceptualizado na orientação definida.
Como então levar á construção não conceptual a partir de conceitos limítrofes e limitadores da construção pretendida no espectador? Como incentivar a livre associação de sentimentos orientando a leitura dos conceitos imagéticos?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Ogle às 14:55

Porque sou apenas diferente...

Sexta-feira, 15.07.05
Porque não compreendem que uma coisa subjectiva admite a sua subjectividade...
Porque se admira algo na sua unicidade... Porque admite que é algo igual na sua diferença.
Porque não sabem nada para além daquilo que os seus olhos treinado para ver apenas semelhanças consigo próprias lhes mostram... O seu reflexo.
Porque a importância de algo que nos é único é valorizado quando conhecemos os outros. Sabemos que não existe necessidade de ser igual quando é na diferença que se triunfa. Conhecer os outros para que possamos saber no que diferimos.
Cinismo? Hipocrisia? Nada disso, apenas o conhecimento sobre os outros. A pura e simples observação da sua subjectividade no seu meio.
Mas a mera observação das suas características não basta quando retirada da sua subjectividade, da sua unicidade. Torna-se necessário o estudo do todo, da igualdade, do indivíduo como igualdade, como mero indivíduo, como objecto subjectivo de uma história tal como ele; único!
Porque só pode ser assim igual ao único, subjectivo, momentâneo, contextualizado, objectualizado e perspectivado no seu tempo único e não repetível, apenas parecido. Mas tudo isso é subjectivo ao quanto sabemos da sua uncidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Ogle às 00:59




mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Julho 2005

D S T Q Q S S
12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31





comentários recentes

  • gala

    :)voltaste

  • caixapreta

    Eu também não fui embora, ando por ai, mas em vez ...

  • caixapreta

    As flores são uma dica para procurar um novo blog?

  • Filipa Guardado

    .... a relacionar o inrelacionavel :P ..... xxx Mt...

  • Gala

    eu venho, e venho e volto a vir mas não há textos ...

  • Guh

    Olha lá, mas tu mudaste de domínios ou andas só mu...

  • caixapreta

    Feliz Natal

  • Guh

    Eu acho, sinceramente, que tu tás todo queimadinho...

  • caixapreta

    Cheiros e sabores...por vezes é preciso até disfar...

  • Ogle

    Os recados são sempre bem vindos... Mas o que teim...




subscrever feeds