Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



...

Domingo, 14.11.04
flower in red.jpg


Teremos que ser nós os responsáveis pelo nosso amor. Temos que admitir as nossas incapacidades pois não há ninguém melhor que nós para as ultrapassar. E com o amor dos outros é-nos facilitado o caminho, não nos é dado ou percorrido. É a nós que cabe essa responsabilidade. Aceitamos todos os nosso defeitos. Não nos culpabilizamos por eles, pois serão apenas incapacidades ultrapassáveis. Pois com os outros aprendemos o que somos, associando isso ao que fomos e ao que seremos. Mas aquando de uma incapacidade reavaliamo-nos e aprendemos. Da mesma forma que agora(?!) não será como antes, mas formará outro pensamento para outros pensamentos que virão. E tomar a responsabilidade por tudo. Pois somos iguais nas nossas diferenças. E somos nós que temos a responsabilidade. Mais nada ou ninguém senão nós. Mesmo com a ajuda dos outros somos nós os responsáveis, não os culpados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Ogle às 23:28

...

Domingo, 14.11.04
E será essa a resposta? Não fará lógica mas o amor, com tanta razão de ser, não precisa de lógica. Ou então terá uma lógica subjacente que nos ultrapassa pois não será necessário compreender essa lógica. Essa compreensão será apenas necessária para que possamos aumentar a nossa inteligência emocional, na parte em que será necessário dissociá-la da lógica, para que seja de mais compreensão. Amar faz com isso seja aceite, e aceitando algo compreendemo-lo. Amar sempre para que sejamos sempre amados... Uma utopia.
Já verificado pela história que aqueles que perdem a sua humanidade zombam daqueles que a têm. Aqueles que o amor será mais que tudo, mesmo mais que o seu ódio, aqueles que dão amor por algo mesmo quando o odeiam por isso, transformam-se em mártires. E numa altura onde a humanidade do amor pertence aos fracos, a eles só é atribuida a glória dos seus esforços e não a glória dos seus ensinamentos. Pois até alguns desses mártires perderam a sua humanidade, especialmente em alturas onde a necessidade básica da sobrevivência foi posta em causa. E como acreditar numa pregação de palavra onde ela será volátil ás necessidades do seu pregador? É difícil, a não ser por fé. Mas não será o amor um acto de fé? Fé no sentimento que dará um significado sagrado a algo, sendo sagrado o significado de importância que damos a isso mesmo. E numa altura de falta de fé como ter fé em algo? Simplesmente acreditando? No quê? No amor? No nosso ou no dos outros?
Pois cada vez menos o sagrado se aproxima ao todo divino emais ao todo real. Pois cada vez mais se adere a uma parte do todo acreditando que essa parte é a totalidade.
Será a a nós que cabe essa tarefa? Não será uma responsabilidade demasiado grande? Talvez, mas o poder que nos foi dado exige isso mesmo- responsabilidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Ogle às 14:43

...

Domingo, 14.11.04
green.jpg


E será essa a resposta? Não fará lógica mas o amor, com tanta razão de ser, não precisa de lógica. Ou então terá uma lógica subjacente que nos ultrapassa pois não será necessário compreender essa lógica. Essa compreensão será apenas necessária para que possamos aumentar a nossa inteligência emocional. Na parte em que será dissociá-la da lógica. Para que seja mais fácil a sua compreensão.
Amar faz que isso seja aceite, e aceitando algo compreendemo-lo. Amar sempre para que sejamos sempre amados... Uma utopia. Já verificado pela história que aqueles que perdem a sua humanidade zombam daqueles que a têm. Aqueles a que o amor será mais que tudo, mesmo que mais que o ódio (seu oposto). Aqueles que dão amor por algo, mesmo quando o odeiam por isso, transformam-se. E numa altura onde a humanidade do amor pertence aos fracos, a eles só é atribuida a glória do seu esforço e não a glória dos seus ensinamentos,

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado por Ogle às 00:59





mais sobre mim

foto do autor


pesquisar

Pesquisar no Blog  

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

calendário

Novembro 2004

D S T Q Q S S
123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
282930





comentários recentes

  • gala

    :)voltaste

  • caixapreta

    Eu também não fui embora, ando por ai, mas em vez ...

  • caixapreta

    As flores são uma dica para procurar um novo blog?

  • Filipa Guardado

    .... a relacionar o inrelacionavel :P ..... xxx Mt...

  • Gala

    eu venho, e venho e volto a vir mas não há textos ...

  • Guh

    Olha lá, mas tu mudaste de domínios ou andas só mu...

  • caixapreta

    Feliz Natal

  • Guh

    Eu acho, sinceramente, que tu tás todo queimadinho...

  • caixapreta

    Cheiros e sabores...por vezes é preciso até disfar...

  • Ogle

    Os recados são sempre bem vindos... Mas o que teim...




subscrever feeds